Lobo Brasil
.

Lobo Internacional: Español | English
.


INFORMAÇÕES
Notícias
Curiosidades
Entrevistas
Todas seções

REVISTAS
Lista completa
Gibi por gibi
Checklist brasileiro
Referências
Outros
Reviews
Melhores
Gibis com Slobo

ALÉM DOS GIBIS
Cinema
Cards
Jogos
Todas seções

IMAGENS
Geral
Pensamentos
Arte original
Todas seções

NO MUNDO
Brasil
Estados Unidos
Portugal
Todos países

DOWNLOADS

LINKS

FALE CONOSCO
.


Revistas - reviews
Lobo nº 8
(30/06/2003)

Cerca de duas semanas depois do lançamento da sétima edição do gibi do Maioral, chega às bancas o número oito. Parabéns à Brainstore, que conseguiu finalmente lançar o gibi no mesmo mês registrado no expediente. Tudo bem que a revista está registrada como sendo de “maio/junho” e saiu nos últimos dias de junho, mas melhorou bastante e comprova que eles estão fazendo o máximo para que o gibi do Lobo torne-se, definitivamente, mensal. Pena que, após os reajustes de tiragem, não está tão fácil encontrar a revista nas bancas de jornal, pois um maior volume de edições está sendo encaminhada para lojas especializadas.

História:
Publicada originalmente em “Lobo” #14-15, de março e abril de 1995: Depois de uns probleminhas com o dono da agência de caçadores de recompensas, Lobo perde o emprego e acaba se tornando detetive particular num planeta de clima “noir”. São as duas primeiras partes de uma história originalmente publicada em cinco gibis (e que no Brasil vai até a décima edição).

Ficha técnica:
Roteiro: Alan Grant
Desenho: Val Semeiks
Arte-final: John Dell

Pontos positivos / negativos:
A história é interessante, fugindo um pouco do padrão “caçando um vilão / matando um vilão / fazendo uma piada”, embora só engrene mesmo a partir da próxima edição. As homenagens e referências a histórias de detetives e a autores como Will Eisner estão espalhadas pela revista, sendo um ponto a mais de interesse. As imagens voltaram a ficar com problemas sérios de qualidade em diversas páginas, provavelmente pelo processo de “escaneamento”, mas nada que prejudique a leitura. Nessa edição ainda aparecem os personagens B.D. (Brain Damage) e Killer, que tiveram seus nomes traduzidos para C.C. (Concussão Cerebral) e Matador. O primeiro ganhou um bom nome em português, até pelo trocadilho quando se abrevia o nome; contudo o nome Matador já havia sido utilizado para denominar o personagem Murder, que apareceu nas duas primeiras edições do gibi regular. Mas, como são personagens que aparecem raramente e que só estiveram juntos na edição 25 americana, isso não causa maiores problemas. Claro que não poderia deixar de comentar um ponto importantíssimo: na seção de cartas eles indicam o site Lobo Brasil para um leitor que desejava ter maiores informações sobre o Maioral :)

Análise final (notas de 0 a 5):
Roteiro
Humor
Violência
   

Lobo Brasil, trazendo serviços indispensáveis à internet desde 29 de outubro de 1997.
Todos personagens citados são, em sua maioria,
© DC Comics, publicados sem autorização, mas com todo respeito ;)
As informações contidas nesse site podem ser usadas livremente, desde que se cite a fonte, preferentemente com link.

Lobo Brasil © 1997-2008, Lucio Luiz