Lobo Brasil
.

Lobo Internacional: Español | English
.


INFORMAÇÕES
Notícias
Curiosidades
Entrevistas
Todas seções

REVISTAS
Lista completa
Gibi por gibi
Checklist brasileiro
Referências
Outros
Reviews
Melhores
Gibis com Slobo

ALÉM DOS GIBIS
Cinema
Cards
Jogos
Todas seções

IMAGENS
Geral
Pensamentos
Arte original
Todas seções

NO MUNDO
Brasil
Estados Unidos
Portugal
Todos países

DOWNLOADS

LINKS

FALE CONOSCO
.


Revistas - gibi por gibi
1994

Janeiro:

L.E.G.I.O.N. #62
sem equivalência nacional

Roteiro: Tennessee Peyer
Desenho: Stephen Jones e Tom Tenney
Arte-final: Dennis Cramer

História: O pessoal da L.E.G.I.Ã.O. vai vivendo sua vida. Enquanto isso, Lobo (novamente numa aparição bem rápida) descobre que Super-Homem está vivo e fica p da vida.

Action Comics #695
Superboy nº 3 (fevereiro de 1995)

Roteiro: Karl Kesel
Desenho: Jackson Guice e Denis Rodier

História: Lobo só aparece na última página, indo em direção à Terra para a história que acontece em “Superman: The Man of Steel” #30, no próximo mês.

Fevereiro:

Lobo #2
Lobo nº 1 (maio de 2002)

Roteiro: Alan Grant
Desenho: Val Semeiks
Arte-final: John Dell

História: Lobo e Jonas Glim vão para Dagma City, uma cidade só de gângsteres e assassinos. É por lá que Qigly está escondido. E eles vão procurando. E batendo em uma porção de gente. Mas Mort Fatale (o bandidão chefe do grupo de bandidões que estão dando guarida a Qigly), manda um chefão da máfia morto para o Conselho dos Dons (“don” é o mesmo que chefão da máfia), ameaçando entregar Qigly para a L.E.G.I.Ã.O., o que poderia ser uma desculpa para eles acabarem com o poder dos gângsteres em Dagma City. Com isso, eles resolvem acabar com Lobo. Aparentemente ilógico, mas tudo funciona e Lobo e Jonas se vêem cercados por inimigos no final desse gibi. Continua na próxima edição...

Lobocop #1
Lobocop (janeiro de 1995)

Roteiro: Alan Grant
Desenho: Martin Emond

História: Num mundo alternativo (pelo menos parece ser), Lobo morre da tanto beber e um cara muito ganancioso coloca seu cérebro num robô fortão para ser um policial. Lobo enche todo mundo de porrada e das formas mais variadas, mata toda a cidade. Mas isso era mesmo parte do plano do tal ganancioso, que queria transformar toda cidade em estacionamento para ganhar muito dinheiro com as vagas. No final, ele joga cimento em tudo, inclusive no Lobo. Só que ele não poderia contar que o cimento interromperia a emissão do rádio que toca heavy-metal no cérebro do Maioral e que isso faria com que ele ficasse descontrolado e matasse seu “criador”. Ele acaba voltando para o próprio corpo e ainda conclui sua vingança. Fim.

L.E.G.I.O.N. #63
sem equivalência nacional

Roteiro: Tennessee Peter
Desenho: Arnie Jorgensen
Arte-final: James Pascoe

História: Relativo à L.E.G.I.Ã.O., não importa o que está acontecendo. Quanto ao Lobo, essa edição é seqüência dessa aí de baixo, do “Superman: The Man of Steel” #30. No espaço, Lobo e Super-Homem vão parar num bar (ou qualquer coisa parecida), onde todos acham que o Super-Homem é parceiro do Maioral. Eles se envolvem numa briga e, no final, Super-Homem acaba salvando a vida do Lobo, que foi lançado em direção ao Sol (não esqueça: Lobo só morre se for totalmente desintegrado e cair no Sol é desintegração na certa). No final, Super-Homem acaba sacaneando Lobo dizendo que salvou sua vida e vai embora. Todo mundo então sacaneia Lobo, dizendo que ele que é o companheiro do Azulão. Claro que o Maioral “cala a boca” de quem o sacaneou (para sempre).


Superman: The Man of Steel #30
Superboy nº 3 (fevereiro de 1995)

Roteiro: Louise Simonson
Desenho: Jon Bogdanove
Arte-final: Dennis Janke

História: Primeiro a explicação da capa dobrada à esquerda: é que a DC Comics fez uma capa especial, sem nada, e mandou junto com a revista várias “figurinhas” para que o leitor montasse sua própria capa. Mas para não ir uma capa vazia para as bancas, a editora mandou essa capa vazia dentro de um plástico já com alguns desenhos (os da segunda capa). Agora a estória: Lobo viaja até Metrópolis para matar o Super-Homem, já que ele havia acabado de ressuscitar e o Maioral considerava que só ele poderia voltar da vida eterna. Eles começam caindo no pau, mas, depois, juntam forças para detonar uns alienígenas que queriam destruir Lobo porque ele destruiu seu santuário. No fim (assustador!!!), Lobo aperta a mão do Super-Homem e ainda o elogia (assustador mesmo!!!!!).

Março:

Lobo #3
Lobo nº 2 (junho de 2002)

Roteiro: Alan Grant
Desenho: Val Semeiks
Arte-final: John Dell

História: O Conselho dos Dons cerca Lobo e Jonas Glim e enche os dois de tiros. Mas é claro que o Maioral sobrevive e enche todo mundo e porrada. Eles acham Qigly, Mr. Fatale e todos os outros bandidões. Mas não tem problema nenhum, pois Lobo sempre tem uma granada e uma arma muito grande e muito bem carregada. Aí vem porrada, porrada, porrada, porrada e porrada. Até que Lobo encontra Qigly e deixa seus amigos (?!) caçadores de recompensas presos nos esgotos de Dagma City. E continua na próxima edição...

L.E.G.I.O.N. #64
sem equivalência nacional

Roteiro: Tennessee Peyer
Desenho: Arnie Jorgensen
Arte-final: James Pascoe

História: Alguns membros da L.E.G.I.Ã.O. estão numa missão secreta. Inclusive Lobo, que foi sedado devida a sua “discrição”. Eles são capturados. Após receber uma estranha injeção, Furtiva aparenta estar sofrendo uma mutação e some. Fase acorda Lobo e, nesse momento, todos são jogados no vácuo do espaço. Continua...

Abril:

Lobo #4
Lobo nº 2 (junho de 2002)

Roteiro: Alan Grant
Desenho: Val Semeiks
Arte-final: John Dell

História: Qigly tenta convencer Lobo e soltá-lo, mas nada adianta. Os dois vão para o bar do Al para que Lobo dê uma descansada antes de entregar o prisioneiro e vira um lobisomem (eu não lembrei de contar, mas ele foi mordido por um bicho estranho na luta da última edição). Nesse meio tempo, o bar do Al é invadido por motoqueiras espaciais sanguinárias, que tomam muita porrada do Lobo lobisomem (ou seria lobislobo, dã?). Quando Lobo volta ao normal (?) percebe que devorou Qigly, e acaba não recebendo sua recompensa. Ele ainda descobre que os colegas caçadores de recompensa que ele havia largado em Dagma City receberam uma nota preta pelo grupo de bandidões de Mr. Fatale. Por fim, Vril Dox o livra da maldição do lobisomem e tudo acaba bem.

Lobo: A Contract on Gawd #1
sem equivalência nacional

Roteiro: Alan Grant
Desenho: Kieron Dwyner
Arte-final: Klaus Janson / Dick Giordano

História: Um grupo de frades contrata Lobo para acabar com Gawd, seu deus onipresente e onipotente que tudo sabe e tudo vê (óbvio!). Eles querem uma vida desregrada, cheia de sexo, drogas e etcétera, mas se eles quebram uma regrinha que seja do grande livro de Gawd, são fuzilados por um raio no mesmo instante. Lobo aceita e vai para Cathedral City, onde poderá encontrar Gawd. Ele enche uma porção de gente de porrada na igreja de Gawd e continua matando todo mundo. E só. Continua na próxima edição...

L.E.G.I.O.N. #65
sem equivalência nacional

Roteiro: Tennessee Peyer
Desenho: Arnie Jorgensen
Arte-final: James Pascoe

História: Borb salva todo mundo do vácuo com seu poder de teletransporte. Algumas coisas vão acontecendo, mas, no final, Lobo começa a lutar com Furtiva, que está momentaneamente transformada num monstro (o da capa à esquerda). No final, tudo acaba bem.

Maio:

Lobo #5
Lobo nº 3 (agosto de 2002)

Roteiro: Alan Grant
Desenho: Val Semeiks
Arte-final: John Dell

História: Lobo está à caça de Bludhound, um violento bandidão que está matando todo mundo que encontra pela frente porque está com uma doença terminal. Nessa edição também aparece GoldStar: o super-herói extremamente bonzinho do planeta Harmonia, que vence os vilões usando poderes como o “raio de complexo” (para o bandido sentir-se triste pelo que fez) e outras coisas do tipo. Ele aparece porque, depois de Lobo e Bludhound caírem na porrada por umas cinco páginas, eles caem no planeta de GoldStar e são salvos pelo herói, que toma porrada dos dois porque eles querem continuar a brigar. GoldStar então usa seu raio de bons sentimentos nos dois, mas só tem efeito em Bludhound, que confessa estar à procura de seu irmão perdido que, oh, coincidência, é GoldStar. O super-herói fica feliz, mas a intenção de Bludhound era mesmo matar seu perdido irmão perfeito como vingança por ele ser feio e deformado. Ele tenta, mas Lobo acaba acabando com Bludhound. Então, GoldStar jura vingança contra o Maioral pelo que ele fez a seu irmão.

Lobo: A Contract on Gawd #2
sem equivalência nacional

Roteiro: Alan Grant
Desenho: Kieron Dwyner
Arte-final: Dick Giordano

História: Lobo vai para o local onde se encontram os anjos de Gawd. Logo que ele chega, os anjos (que são canibais) começam a mordê-lo, mas lobo mata todos eles antes. Então surge Gawd: um moleque gordinho com cara de paspalho! Nesse ínterim, os frades recebem um carregamento de cigarro, bebida de revista de mulher pelada. Lobo tenta bater em Gawd, mas ele, com seu poder, o envia para o inferno. Lá, Lobo tem uma recepção violenta, com uma porção de capetões atirando raios nele. Continua na próxima edição...

L.E.G.I.O.N. #66
sem equivalência nacional

Roteiro: Tennessee Peyer
Desenho: Arnie Jorgensen
Arte-final: James Pascoe

História: A história principal (a da capa) é meio boba e nem merece comentários. Em relação a Lobo, ele só aparece rapidinho, se assustando com a existência de dois Dox (na verdade, de Vril Dox e seu filho, que o Maioral acaba de conhecer).

Junho:

Lobo #6
Lobo nº 3 (agosto de 2002)

Roteiro: Alan Grant
Desenho: Val Semeiks
Arte-final: John Dell

História: Lobo é contratado por uma empresa de caminhoneiros para tomar conta de um caminhão. Ele viaja junto com Bim Simms - um gorilão, literalmente - e enfrenta algumas adversidades no caminho, como dois caminhoneiros que tentam roubar a carga e uma mulher que convence o Maioral a levá-la junto na viagem e acaba por jogar Lobo e Simms no vácuo espacial (e só Lobo consegue sobreviver no tal vácuo). Mas Lobo acaba detonando com os ladrões. E detonando com o caminhão também, motivo pelo qual ele não é pago. Fim.

Lobo: A Contract on Gawd #3
sem equivalência nacional

Roteiro: Alan Grant
Desenho: Kieron Dwyner
Arte-final: Dick Giordano

História: No princípio da revista, os diabos cortam a língua de Lobo. Ele então começa a encher todo mundo de porrada. Eis que surge Dave, um moleque gordinho com cara de paspalho e óculos vestindo uma fantasia de diabo. Ele devolve magicamente a língua de Lobo, diz que Gawd é seu irmão malvado e conta sua história: Ele e Gawd era irmãos poderosos que resolveram criam o planeta Paradize (“paraízo” em inglês, e é com “z” mesmo que está escrito no gibi). Dave queria criar regras de livre arbítrio, democracia, etc., mas Gawd queria era mandar em todo mundo. Então, Gawd fez com que Dave ficasse preso para sempre no inferno, comandando o lugar, que, por sinal, àquela altura do campeonato, já estava muito mais do que lotado. Ele ainda mostra a Lobo que começou um processo de revolta no povo, oferecendo as revistas de sacanagem e as drogas para todo mundo e os dois, junto com um pelotão do inferno, invade a terra de Gawd. Começa a guerra, que continua na próxima edição...

L.E.G.I.O.N. #67
sem equivalência nacional

Roteiro: Tennessee Peyer
Desenho: Arnie Jorgensen
Arte-final: James Pascoe

História: Lobo só aparece numa página, duranto o enterro do Capitão Cometa. Sua explicação para estar no enterro de um cara que ele odiava: é uma boa oportunidade de ver a bunda da Marij’n (meio estranho, mas é isso mesmo).

Julho:

Lobo #7
Lobo nº 4 (setembro de 2002)

Roteiro: Alan Grant
Desenho: Val Semeiks
Arte-final: John Dell

História: Lobo começa a estória resgatando ou convidando seis bandidos “perdedores” para se juntarem a ele numa missão: Wylie Mordida, Ratty, princesa Shaola, Gus, Bob e Clyve. Lobo leva esse pessoal todo para conhecer um mascarado que contratou a missão, que consiste em derrotar uma gangue de renegados que está no planeta Kannit. Claro que isso é o que Vril Dox (o tal mascarado) diz para Lobo. Mais adiante vamos descobrir que era cascata, mas, por enquanto, os sete (Lobo e os seis “perdedores”) vão para Kannit. Continua na próxima edição...

Lobo: A Contract on Gawd #4
sem equivalência nacional

Roteiro: Alan Grant
Desenho: Kieron Dwyner
Arte-final: Dick Giordano

História: Guerra entre o céu e o inferno. Lobo está no meio, claro, e mete porrada em todo mundo! E enquanto Lobo distrai o exército de Gawd e o próprio Gawd, Dave entra num local secreto onde encontra o grande segredo de Gawd: seu verdadeiro nome, Cecil! Todo mundo começa a gritar “Cecil” e Gawd começa a chorar desesperado. Então o mundo explode e Lobo vê Dave e Gawd se cumprimentando pelo jogo. É o seguinte: tudo era um jogo. Eles criaram o mundo e todas as pessoas para brincarem e ver quem ganhava. Com essa Dave empatou em cinco a cinco com Cecil. Mas eles se ferraram porque Lobo não gostou nada disso e os trucidou. Fim!

Agosto:

Lobo #8
Lobo nº 4 (setembro de 2002)

Roteiro: Alan Grant
Desenho: Val Semeiks
Arte-final: John Dell

História: Lobo e os seis bandidos “perdedores” chegam ao planeta Kannit e começam a detonar todo mundo que encontram epla frente. No caminho, cheio de violência, quatro morrem e só sobram Lobo, a princesa Shaola e Gus, o macaco. Eles finalmente chegam na fortaleza e Lobo e Shaola caem numa armadilha. Então, Gus confessa que não é Gus e tira a máscara, mostrando qual era o verdadeira inimigo perigoso que Vril Dox queria ver derrotado: um clone de Lobo! continua na próxima edição...

Lobo: In the Chair #1
sem equivalência nacional

Roteiro: Alan Grant
Desenho: Martin Emond

História: Lobo, depois de um dia de trabalho, resolve ir ao barbeiro. Como ele acaba dormindo na cadeira, dois caras resolvem tirar um sarro da cara do Maioral. Depois, eles amarram Lobo na cadeira e começam a penteá-lo de diversas maneiras. Quando ele acorda, ligam o fio em que ele está amarrado na tomada, e ele leva um baita choque. E vão dando choque nele diversas vezes até que o fio sai da tomada, Lobo se liberta e enche todo mundo de porrada. Como sempre, por sinal.

L.E.G.I.O.N. #69
sem equivalência nacional

Roteiro: Tennessee Peyer
Desenho: Arnie Jorgensen
Arte-final: James Pascoe

História: Penúltima revista da L.E.G.I.Ã.O. antes do evento “Zero Hora” (aquele megassérie que reorganizou o bagunçado Universo DC). Lyrl Dox, o filho de Vril Dox começa a pôr em prática um plano para tomar a L.E.G.I.Ã.O. para si, fazendo lavagem cerebral em todo mundo para que todos o obedeçam e achem que seu pai é um vilão. Lobo é um dos poucos que não são afetados pela lavagem cerebral, mas nessa edição ele não faz absolutamente nada, além de aparecer em um quadrinho.

Setembro:

Lobo #9
Lobo nº 5 (outubro de 2002)

Roteiro: Alan Grant
Desenho: Val Semeiks
Arte-final: John Dell

História: O clone de Lobo conta sua história, dizendo que é o único remanescente dos clones de Lobo utilizados na revista L.E.G.I.O.N. #7 (DC 2000 nº22). Para quem não lembra, basta voltar ao ano de 1989 nessa seqüência de gibis. O Lobo clone ainda tem o poder de fazer mais clones, e tenta descobrir no sangue do Lobo qual a substância que Vril Dox utilizou para neutralizar sua capacidade de clonagem, para poder assim controlar seu exército de clones. Quando ele sai da sala, deixando Lobo e Shaola amarrados, a princesa consegue se soltar, mas não ajuda Lobo porque descobriu que ele sabia que todo mundo (menos ele) ia morrer na missão. Por sinal, ela ainda bota uma bomba em seu colo, mas perto da explosão ele consegue se soltar das correntes e começa a brigar com seu clone. A partir daí é muita porrada! Inclusive, o sangue do clone do lobo forma diversos outros clones e todos começam a brigar uns com os outros. Vixi! O Lobo original e o clone inicial continuam brigando e, ao mesmo tempo, Dox lança mísseis na direção do local onde estão todos os clones. Todo mundo vai pro beleléu, menos o original e o inicial, que continuam brigando violentamente até que apenas um dos dois se ergue na última página gritando pela vitória. Só Não me pergunte qual foi.

L.E.G.I.O.N. #70
sem equivalência nacional

Roteiro: Tennessee Peyer
Desenho: Arnie Jorgensen / Derec Aucoin
Arte-final: James Pascoe

História: Última edição antes da “Zero Hora”. Lyrl consegue seu intento e toma o poder da L.E.G.I.Ã.O. convencendo a todos (via lavagem cerebral) que Vril Dox é um traidor. No final, depois de muita perseguição, ele consegue fugir com alguns aliados, inclusive Lobo. Fugindo numa estranha nave espacial, eles se tornam fugitivos (oh, que óbvio!) e tornam-se os R.E.B.E.L.D.E.S..

Outubro:

Lobo #0
Lobo nº 5 (outubro de 2002)

Roteiro: Alan Grant
Desenho: Val Semeiks
Arte-final: John Dell

História: Alguns bandidos estão se escondendo do Maioral, por medo de sua vingança contra o fato deles terem batido nele, sem saber obviamente quem ele era. Enquanto se escondem, contam a história do Lobo, desde seu nascimento em Czárnia até a última edição da revista. No fim, Lobo os encontra e detona a todos.

R.E.B.E.L.S. #0
sem equivalência nacional

Roteiro: Tennessee Peyer
Desenho: Arnie Jorgensen
Arte-final: James Pascoe

História: Os R.E.B.E.L.D.E.S. continuam fugindo. Eles roubam algumas provisões de uma nave da L.E.G.I.Ã.O. e continuam fugindo. Dox mata algumas pessoas e continuam fugindo. Nesse meio tempo, na sede da L.E.G.I.Ã.O., Lyrl Dox manda o arquivista da L.E.G.I.Ã.O. contar a história da equipe e resolve “mudar” alguns fatos. Como o arquivista fica revoltado com isso, ele esconde o livro que conta a verdadeira história do grupo numa nave espacial e a lança no espaço (onde mais?). Ah, ele morre no final, feliz porque conseguiu preservar a verdade. Comovente...

Novembro:

Lobo #10
Lobo nº 6 (janeiro de 2003)

Roteiro: Alan Grant
Desenho: Val Semeiks
Arte-final: John Dell

História: Lobo pega um emprego de guarda-costas, para variar um pouquinho. Ele é contratado pelo reverendo Phonus Balonus, e durante o caminho para sua igreja Lobo vai dirigindo e detonando com os inimigos do reverendo. Na grande mansão do reverendo, Lobo continua detonando com seus inimigos. No campo de golfe, na área das mulheres semi-nuas e etcétera. Na igreja, durante a apresentação do reverendo, também. Ainda há tempo para aquela piada do fanho e do aleijado na igreja (quem não conhece, que descubra). No fim, Lobo é despedido, aifnal acabou com todos os inimigos do reverendo que já não precisava mais dele. Concluindo: Lobo resolve montar sua própria igreja. Continua na próxima edição...

R.E.B.E.L.S. #1
sem equivalência nacional

Roteiro: Tennessee Peyer
Desenho: Arnie Jorgensen
Arte-final: James Pascoe

História: Vril Dox, Lobo e o resto do pessoal continuam fugindo da L.E.G.I.Ã.O.. Nesse ínterim, o Lanterna Verde (Kyle Rayner) aparece numa nave da L.E.G.I.Ã.O. e resolve ajudá-los e capturar Dox e seus rebeldes. No fim, ele fica convencido de que os R.E.B.E.L.D.E.S. é que são os mocinhos, já que Dox fez com que ele pensasse que a L.E.G.I.Ã.O. havia atacado o pessoal de um planeta. Mas no momento em que Kyle diz que vai ajudar Dox a recuperar a L.E.G.I.Ã.O., Strata fala a verdade e ele vai embora fulo da vida.

Dezembro:

Lobo #11
Lobo nº 6 (janeiro de 2003)

Roteiro: Alan Grant
Desenho: Val Semeiks
Arte-final: John Dell

História: Lobo virou dono de uma igreja, e Jonas Glim é seu sócio. Claro que a única finalidade religiosa do Maioral é adquirir dinheiro para si mesmo. Ele só não contava com a presença de GoldStar, que resolve acabar com essa pouca-vergonha. Na missa, Lobo e Jonas avisam que o apocalipse está chegando, ninguém acredita mas isso faz parte de um plano qeu envolve grandes explosões. GoldStar tenta evitar a catástrofe, mas não consegue. Todo mundo sente os tremores de terra, como foi informado pelos “reverendos” e começam a dar dinheiro direto para o Maioral garantindo um espaço no céu. GoldStar continua tentando evitar isso, partindo para um confronto direto com Lobo, mas acaba se ferrando. Então, lobo e Jonas ecapam do planeta pouco antes da explosão total e a última visão que temos de GoldStar é seu corpo inerte e inconsciente vagando pelo espaço sideral. Bonita a última frase, não?

R.E.B.E.L.S. #2
sem equivalência nacional

Roteiro: Tenessee Peyer
Desenho: Derec Aucoin
Arte-final: James Pascoe

História: Vril Dox manda seu pessoal expulsar Strata pelo que ela fez na útlima edição. Ninguém aceita porque a consideram amiga. Então Dox manda Lobo encher todo mundo de porrada. E ele vai. O único problema é que Borbb tem o poder de se teletransportar em curtas distâncias e Lobo acaba não conseguindo pegá-lo. Mas depois de um tempo todo mundo deixa isso pra lá e eles continuam fugindo da L.E.G.I.Ã.O. juntos. Mas por pouco tempo, pois depois que chegam a um planeta meio violento, Dox manda todo mundo embora e diz que vai continuar sozinho. Lobo fica feliz, mas Dox explica que isso só não vale para ele.

Aquaman Vol. 5 #4
Superboy vol. 2 nº 2 (dezembro de 1996)

Roteiro: Peter David
Desenho: Martin Egeland
Arte-final: Howard M. Shum

História: Dois golfinhos espaciais do Lobo estavam passeando com a golfinho mãe do Aquaman (mãe adotiva, é claro) e outros golfinhos até que todos foram capturados por pescadores japoneses. Um dos golfinhos espaciais fugiu e o outro foi morto. O que fugiu foi avisar a Lobo o que houve para ele tirar satisfações. (Obs.: Isso tudo aconteceu na edição 4 da revista do Aquaman, mas, como Lobo não apareceu, esta revista não está registrada aqui; no caso do gibi nacional, essa parte foi publicada na mesma edição mostrada ao lado). Nesse meio tempo, Aquaman descobriu o local onde sua mãe golfinho estava e foi libertá-la. Lobo seguiu na mesma direção e chegou lá detonando com todo mundo. Ele ainda caiu de porrada com o Aquaman mas parou quando soube que ele gostava de golfinhos. No final, tudo acabou bem. Aquaman salvou sua mãe e Lobo se vingou do pessoal que matou seu golfinho espacial.

Sem mês definido:

Lobo Annual #2
sem equivalência nacional

Roteiro: Alan Grant
Desenho: Vel Semeiks / Robert Smith / Kevin O’Neill, Carlos Ezquerra, John Ridgway / Martin Emond / Chirstian Alamy / Peter Gross / Dave Johnson / Chris Alexander / Wayne Faucher / Gabriel Morrissette / Sergio Aragonés / Frank Gomez / Kieron Dwyer / Dwayne Turner / Pablo Raimondi / John Dell / Dusty Abell

História: Essa é uma estória “alternativa”, que mostra Lobo representando vários personagens do velho oeste. De caubóis violentos a índios violentos. É isso aí: violência ao estilo Lobo no velho oeste. Tá resumida a revista.

L.E.G.I.O.N. Annual #5
sem equivalência nacional

Roteiro: Ian Peyer / Edmond Hamilpeyer / Tennessee Spelling / Tom Peyer
Desenho: Auric G. McKone / Curt Swan / Brenda Parobeck / Tom Grindberg / Dick Sprang / Val Semeiks / M.D. Bright / Craig Hamilton / Ted McKeever / Evan Dorkin / Derec Aucoin / Kieron Dwyer
Arte-final: Scaramanga Faucher / Josef Rubinklein / Peach Pit Burchett / Don Hudson / Dave Gibbons / John Dell / Romeo Tanghal / Tony Herris / Gaspár Saldino / Gene D’Angelo
P.S.: Alguns dos nomes acima foram piadas em cima dos nomes dos verdadeiros autores. Aqueles que eu não sabia qual era o nome correto, coloquei o que aparecia mesmo. Quem tiver a informação correta, envie um e-mail, por favor.

História: São várias estórias “alternativas”. A primeira é uma sátira ao 007, onde Lobo é o espião James Lobo. Ele começa escarrando na cena de abertura do filme (aquela, onde James Bond aparece no meio de um círculo atirando e tudo ficando vermelho). No decorrer da estória, ele vai matando uma porção de gente com os métodos mais estranhos. Lobo também aparece na sátira que mistura os seriados “S.O.S. Malibu” e “Barrados no Baile” (personagens do primeiro, personalidades do segundo). Também tem uma sátira às estórias de mistério inglesas e outras duas em que Lobo não aparece. No final, ainda são apresentadas várias páginas inteiras com as “idéias rejeitadas”, que vão desde um S.A.N.D.M.A.N. (com Lobo fantasiado de Morfeu) até todo mundo da L.E.G.I.Ã.O. fantasiado de Batman, além de outras sátiras. É isso.

Green Lantern Corps Quarterly #8
sem equivalência nacional

Roteiro: x
Desenho: x
Arte-final: x

História: PEDIMOS UM POUQUINHO DE PACIÊNCIA. EM BREVE COLOCAREMOS AS INFORMAÇÕES SOBRE ESSA REVISTA AQUI.

Anterior (1993) | Próximo (1995)
.

Lobo Brasil, trazendo serviços indispensáveis à internet desde 29 de outubro de 1997.
Todos personagens citados são, em sua maioria,
© DC Comics, publicados sem autorização, mas com todo respeito ;)
As informações contidas nesse site podem ser usadas livremente, desde que se cite a fonte, preferentemente com link.

Lobo Brasil © 1997-2008, Lucio Luiz